24/05/2017

15:40

Produção de leite dos Estados Unidos continua subindo

Fonte: Terra Viva

Produção/EUA – O serviço de estatística do USDA em seu relatório mensal sobre a Produção de leite de abril de 2017. O rebanho leiteiro dos Estados Unidos (EUA) continuou a superar a produção em relação ao ano passado em todas as comparações, crescimento da produtividade animal em 24 pounds e a produção total em 336 milhões de pounds.

Também é o sexto mês consecutivo de aumento no número de vacas leiteiras, chegando a 9,39 milhões de cabeças, um nível não visto desde 1995. A produção de leite na comparação com o ano passado mostra crescimento constante de janeiro a abril, subiu 1,3%. O gráfico abaixo mostra a produção de leite e número de animais nos últimos 16 meses.

Isto é um contraste em relação aos recentes relatórios de produção de leite de outras regiões do mundo. A União Europeia (UE) divulgou os dados preliminares de produção de leite de março na semana passada, indicando que em março de 2017 a produção aumentou 0,02% em relação ao mesmo mês do ano passado. No entanto, em janeiro e fevereiro a produção caiu, e no acumulado, de janeiro a março, o volume deste ano foi 1% menor em relação ao primeiro trimestre de 2016. Recente relatório do Escritório do USDA no exterior mostra queda de 2,7% na produção de leite da Austrália, em decorrência dos baixos preços aos produtores e queda no tamanho dos rebanhos. A produção de leite na Nova Zelândia também começou 2017 lenta, apresentando declínios na comparação anual, em janeiro e fevereiro, mas, recuperação em março e abril. Na comparação anual acumulada, nos quatro primeiros meses, mostra aumento de 2,3%. O gráfico abaixo mostra o aumento acumulado dos maiores países exportadores, desde 2008.

O preço do leite no final de 2016 foi o maior dos dois últimos anos. Em janeiro de 2017 acompanhou o valor de dezembro que foi de US$ 18,90/cwt. Mas, desde janeiro os preços já caíram US$ 1,60/cwt. A volatilidade dos preços não é novidade na indústria de laticínios. Em maio de 2016 o preço ao produtor era de US$ 14,30/cwt, subindo mais de 30% para chegar a US$ 18,90/cwt em dezembro e janeiro de 2017. Os preços mais baixos deverão ocorrer no segundo trimestre. O relatório de Estimativas de Oferta e Demanda (WASDE) prevê preços entre US$ 16,30 e US$ 16,60/cwt no segundo trimestre, quase um dólar a menos do que os valores projetados para o terceiro trimestre. Ainda assim, a expectativa é de que o preço médio anual será superior aos US$ 16,24/cwt verificado em 2016, devendo variar entre US$ 17,35 e US$ 17,85/cwt. A demanda externa de lácteos dos EUA tem sido forte. As exportações de leite mostraram força no primeiro trimestre. Harmonizando com os Códigos Tarifários, o crescimento ficou acima de dois dígitos, conforme mostra o gráfico abaixo. A demanda doméstica diminuiu até agora neste ano, e os estoques ficaram elevados. O Relatório de Armazenamento de abril, indicou que os estoques de manteiga estavam 12% acima dos de um ano atrás, em março, e o total de queijos estocados, era 8% acima do de um ano atrás.

Deixe seu comentário

Economia